Decapitação

De Wikimerda
Ir para navegação Ir para pesquisar
Escravo brs.jpg

Decapitação é uma tortura do nível demônio sem coração!

Então é melhor não vandalizar, senão Seu cu não será perdoado.

Conteúdo impróprio para menores de 18 anos!
Não recomendo para menores de 18 anos!
Este artigo possui cenas de nudez, uso de dorgas ilícitas e muita pancadaria. Que maravilha!!

Predefinição:Cgoogle Predefinição:Cgoogle Cquote1.png Fui eu que fiz! Cquote2.png
Paulo Maluf Cavaleiro sem-cabeça sobre Decapitação
Cquote1.png Nem doeu! Cquote2.png
Fantasma sobre Decapitação
Cquote1.png Você me faz perder a cabeça Cquote2.png
Apaixonado sobre Decapitação
Predefinição:Wikipedia Decapitação é uma das formas de perder a cabeça, isso no sentido literal da palavra, ou seja, ter o seu objeto pensante arrancado de alguma forma brutal de cima de seu pescoço. Quando esse "pequeno acidente" vem a acontecer, geralmente o indivíduo que perdeu a cabeça e não a conseguiu recolocar no momento certo vem a óbito, para a alegria tristeza das pessoas que o admiravam, se é que não foram elas próprias que fizeram isso a ele (nunca se sabe).

Decapitando...[editar]

Triste vítima dessa crueldade

Você pode usar tudo o que quiser em uma decapitação! O que não garantimos é que o que você quer usar vai funcionar, mas quem sabe se você ficar batendo com muita esperança uma peça de LEGO no pescoço da pessoa por 60 anos seguidos, você não machuca ela... alguns dizem que alguns objetos funcionam melhor para decapitação, como a unha da sua mãe, uma tesoura de plástico e um pregador. Para os noobs na área de decapitar, mostraremos agora os objetos que ninguém deve usar.

Começamos com a katana ornamental. não adianta porra nenhuma querer usar aquilo para decapitar alguém, mesmo com aquele chinês com cara suspeita da loja dizendo que ela cortava até aço. A seguir, tem o George Foreman Grill, que mesmo sendo a arma perfeita para fritar os outros até a morte e fazer propagandas enganosas, ele não corta nada quando o assunto é decapitar. Por último, temos a faquinha de todo dia usada para cortar pão. Porque ela não funciona pra decapitar? Lembre-se de que essa é uma faca de cortar pau pão, e não pescoço de pessoas.

Nas lutas daqueles desenhos que os japoneses chamam de anime, você já deve ter visto os personagens arrancarem a cabeça dos outros só batendo no pescoço delas com a mão. Essa técnica é somente conhecida pelos antigos magos e mestres chineses, por isso, se você quer aprender como faze-lo, é bom estar preparado para perder metade de seu corpo! Você vai ter que pra começar estar usando um par de luvas caso você seja fresco e não goste de sujar suas mãozinhas de sangue. Colocadas as luvas, arranje alguém para ser usa vítima na hora de testar a habilidade.

Fique na frente do zé, e olhe pra sua mão. Concentre sua energia nela. Com você nesse estado, se prepare, olhe, e bata com toda aquela energia já dita antes na cabeça da pessoa. Mesmo com a mão já encostada, continue colocando força.

As armas[editar]

Degola[editar]

Um inocente machado ou uma arma mortal???

Muito utilizada hoje para matar galinhas em alguns locais, apesar de que já existem máquinas tão mais precisas que fazem um frango comum (de um lado) surgir até com a etiqueta de preço (do outro) ao passar por uma porrada de porcas e parafusos. Mas antes de virar um objeto rural e quase pré-histórico, a degola já foi utilizada para cortar algumas cabeças mundo afora, sendo que de animais passava-se longe tal ideia, o preferido sempre foi ver cabeças humanas sair rodando (Predefinição:Risada). O processo é simples e indolor (principalmente para o carrasco que a execulta), sendo que, somente uma batidinha é necessária para cumprir a setença do fudido destinado a morrer por decapitação.

Essa arma de execução é composta de uma pedra alta e (de preferência) cilíndrica, igualmente a uma coluna romana, que tenha o tamanho médio dos execultados (por volta de 90 cm a 1 metro) para que ele (de joelho) consiga ficar com a baceça apoiada no ápice da coluna, isso para que o seu pescoço fique a mostra para o carrasco saber onde vai atingir. As armas com que se vai cortar é que podem variar, mais escolhido por todos é um grande machado, o que nada impede que seja feito com uma espada, um pé-de-cabra ou mesmo com um cabo de vassoura, se bem que, com essas outras formas a vítima tem que morrer com mais do que uma simples batidinha no pescoço, o que torna a execução maçante, chata e cansativa para quem a está assistindo, já que (no passado) essas execuções sempre tinham um público que gostava de apostar até onde a cabeça do cara rolaria depois de se desprender do corpo (tem brincadeira pra tudo).

Guilhotina[editar]

Veja como era a praticidade da época: a cabeça era cortada e o defunto já ia para o açougue cemitério
Outro método eficaz

Foi um instrumento mortal que matava até a morte os condenados a todo tipo de crime, sequestro, abusos sexuais, bruxaria, teorias que iria contra o catolicismo, contra ditadores e contra a esquerdistas. Era uma arma temida que serviu para substituir a forca, que por coincidência, também matava pelo pescoço, só que as vezes dava errado e acabava degolando o mané.

Então se a moda na idade média era degolar, que se degole com luxo, esse era o lema dessa máquina horripilante que parecia uma cadeira gigante com uma lâmina de cortar cana bem no seu "apoio". Também servia para cortar cana, mas no seu manual de instruções o aconselhamento de uso era a decapitação de cabeças, todo tipo de cabeças, cabeças grandes, cabeças pequenas, cabeças com duas cabeças e outros tipos de cabeças.

A Guilhotina ficou muito popular na Revolução Francesa, onde todos moradores daquela querida e saltitante terra da Europa era perturbado por pessoas de cleros mais altos ou nobres daquela terra. Realmente durante a Revolução Francesa, ouve muita dor de cabeça ao saberem que quem ousar desafiar ao desafiador, teria sua cabeça colocada em uma caixa de madeira, assim como o queijo pastoso dentro de uma caixa de madeira, citação dita a alguns anos pelo incrível filosofo e locutor Galvão Bueno.

A guilhotina, assim como o machado, é um tipo de pena de morte por decapitação, mas por acharem que dar varias machadadas no pescoço do infeliz era muita maldade, pois podia ficar mal cortado na primeira vez, tendo que dar varias machadadas depois, resolveram usar a guilhotina, pois era muito mais prática, bom, mais ou menos, já que era bem mais pesada que um machado e tinham que amolar as lâminas várias vezes, e também era mais complicado para lavar o sangue da pessoa, pois era um aparelho maior, enfim, de algum modo acharam que usar a guilhotina era mais humano e pronto.

O brinquedinho é constituído por uma grande armação ereta e tem uma lâmina bem levinha, mais ou menos 40 kg, essa lâmina fica presa por uma cordinha bem vagabunda e quando chega a hora do condenado morrer, eles soltam a corda e a cabeça rola com uma boa dose de ketchup. A pessoa pura e de nobre coração que recomendou o uso da guilhotina foi um médico (sim, um médico que deveria curar, queria matar pessoas) chamado José Inácio da Guilhotina, um francesinho bicho ruim, porém não foi ele o inventor desta belezinha de aparelho, ele só serviu para fazer merchan, a verdadeira mente evil, foi... Ah, sei lá.

José da Guilhotina apenas sugeriu que ela voltasse a virar modinha, pois antes não era muito conhecida, lá pela época da revolução francesa, segundo dados do IBGE a guilhotina foi responsável por dar uma viagem só de ida ao inferno para mais de 2.000 pessoas que eram inimigas do pessoal que come lesma, sem contar os outros mais de oito mil 15.000 que morreram em apenas 7 anos.

Uma Decapitação Histórica[editar]

Mike pousando para uma foto, o lado bom é que ela não piscava nas fotos

A maior decapitação da história seria a de Mike Jack (aka Galinha Sem Cabeça), um frango que ficou vivo dezoito meses depois de sua cabeça ter sido cortada e os assassinos tiveram que esperar 18 meses para ter frango no jantar.

Durante a infância, o pequena Mike viu muitas das suas primas e tias serem transformadas em suculentas canjas, que eram então servidas entre os seres humanos que se autointitulavam seus "donos". Outras vezes, suas parentes eram submetidas a um terrível ritual de morte que os humanos chamavam de "ensopado de frango da Ana Maria Braga" - uma verdadeira tortura a que ela e as demais penosas tinham que assistir quase que diariamente.

No natal de 1945 a mãe de Mike virou uma deliciosa ceia que, segundo relato de especialistas, deu para alimentar oito pessoas. Esta foi a gota d'água para Mike que então procurou encontrar uma forma de fugir daquele lugar horrível. As diversas tentativas de fuga de Mike serviram de inspiração para a animação A Fuga das Galinhas, mas, ou contrário do filme, a sua história não se resolveu tão facilmente.

Depois da morte da sua mãe, Mike deixou de lado os planos de fuga e revolução. Era então uma jovem e rechonchuda galinha levando uma vida tranquila como qualquer outra, estava cursando a faculdade de chocadeira e namorava um garnizé chamado de Chicken Little. Em seu diário, ela escreve:

Mike, 18 meses após a decapitação

Cquote1.png Esses últimos meses tem sido tão bons para mim! Acho que os humanos enjoaram da gente, dizem que estão comendo porcos agora (espero que o porquinho Babe esteja a salvo). Estou louca para me formar e começar meu trabalho de chocadeira o mais rápido possível, só assim conseguirei o suficiente para impressionar o meu galinho... Cquote2.png
Diário de Mike, a galinha sem cabeça, julho de 1946

Infelizmente, naquele mesmo ano, durante o natal, Mike foi escolhida para ser a ceia. Ela cacarejou e bateu as asas em desespero, mas tudo foi em vão. Debbie segurou a sua cabeça sobre um toco de árvore, esticando bem seu pescoço, equanto Lloyd veio com um machado e zás, golpeou sua garganta! A cabeça da pobre Mike saiu voando como nenhuma galinha jamais conseguir voar no mundo, tão alto que ultrapassou a cerca e foi cair do lado de fora da propriedade (alguns dizem que de lá nasceu um pé de galinhas). Algumas das galinhas fofoqueiras disseram: "Bem, pelo menos uma parte dela conseguiu escapar" e já iam se retirando quando perceberam que Mike ainda estava de pé, isso mesmo ela ainda estava viva para espanto geral de humanos e galináceos!

Debbie e Lloyd resolveram não matar a galinha (denovo), em vez disso, resolveram levá-la para a Televisão, a fim de ganhar algum dinheiro com ela. Mas os programas americanos não aceitaram exibir algo tão nojento e assustador quanto uma galinha cotó de cabeça. Então Debie e Lloyd resolveram fazer apresentações na sua fazenda mesmo, mas os matutos gringos não acreditaram que aquilo era de verdade, acharam que não passava de efeitos especiais. Foi quando os irmãos debiloides foram abordados por Gugu, um apresentador brasileiro que costumava sempre copiar porcamente se inspirar nas coisas gringas para aumentar sua audiência.

DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...

Os exames feitos após a sua morte, deixaram claro que a lâmina do machado tinha errado a veia jugular e um coágulo tinha impedido que Mike sangrasse até a morte. A maioria das ações e dos reflexos de uma galinha são controladas pelo tronco cerebral, que não foi atingido, por isso Mike podia permanecer completamente saudável.

Ver também[editar]